terça-feira, 15 de maio de 2012

Tesoura do desejo


>> De letra e interpretação extremamente profundas, esta bela canção de autoria do compositor Alceu Valença - entoada pelo próprio e por Elba Ramalho no álbum "O Grande Encontro", que também tem participação de Geraldo Azevedo e Zé Ramalho - soa como uma navalha na carne dos amores desafetos. Desses que a exemplo dos opostos, se atraem e ao mesmo tempo pisam um na alma do outro.

Egoísmo, orgulho, vaidade, mentira, falta de objetivos em comum. Isso é basicamente o 'cavalo de troia' dos relacionamentos que nascem e se evaporam como as gotas do orvalho aos primeiros raios do sol.

Depois ficam as feridas... que em casos mais sensíveis levam anos de solidão  para cicatrizar. Confortar um coração partido pelas paixões avassaladoras e obsessivas? Nem sempre um novo love resolve. Amor verdadeiro não se constrói da noite para o dia. Mas sofrer não faz sentido. A fila tem que andar... pra frente é que se anda.

Você atravessando aquela rua vestida de negro
E eu lhe esperando em frente a um certo bar Leblon
Você se aproximando e eu morrendo de medo
Ali, bem mesmo em frente a um certo bar Leblon

Quando eu atravessava aquela rua, morria de medo
De ver o teu sorriso e começar um velho sonho bom
E o sonho fatalmente viraria pesadelo
Ali, bem mesmo em frente a um certo bar Leblon

- Vamos entrar...
- Não tenho tempo!
- O que que houve?
- O que que há?
- O que é que houve meu amor, você cortou os seus cabelos?
- Foi a tesoura do desejo, desejo mesmo de mudar.