quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O rádio mineiro perde um de seus maiores talentos


Por Marcos Niemeyer
Acompanhe-nos no Facebook. Clique aqui:
Jazz FM. Música civilizada

>> Morreu nesta quarta-feira, aos 60 anos, em Belo Horizonte, vítima de complicações cardíacas, o jornalista e radialista mineiro Eduardo Lima, uma das vozes mais famosas do rádio brasileiro.

O comunicador atuou nas rádios Itatiaia, Globo, Inconfidência, Del Rey FM e Cultura. Na televisão, passou pela Alterosa, Bandeirantes, Globo e SBT. Também foi cantor, gravando o CD "Momentos e Pensares", e fez teatro e cinema. Estabeleceu também inúmeras parcerias com artistas mineiros, além de escrever belas crônicas e poesias.

Dono de uma voz grave e inconfundível, Eduardo era natural de Montes Claros, no norte de Minas. Ele apresentou durante vários anos pela Rádio Itatiaia o programa 'Viva a Tarde', onde criou o bordão "quem é inteligente ouve a gente". Ouça a música de abertura do programa:


O radialista foi também vereador e secretário Municipal de Esportes em Belo Horizonte na década de 1990 e candidato a deputado federal. Ultimamente, Lima participava de um programa sobre fatos cotidianos na TV Alterosa.

A morte de Eduardo Lima abre um imenso vazio na radiodifusão mineira já tão cambaleante quanto uma galinha caipira apedrejada. O radialista vinha de uma época em que as emissoras se faziam respeitar pela qualidade inconteste dos programas populares.

Hoje, com a maioria das rádios entregue em mãos de políticos inescrupulosos e mercadores da fé - sem falar nos baixos salários que as emissoras pagam - os bons profissionais estão cada vez mais raros.

O SINTERT/MG - Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão em Minas Gerais - é uma vergonha e nada de interessante faz em benefício da categoria. Eduardo Lima, porém, deixa um exemplo de disciplina, conduta e capacidade.
.
Cursos 24 Horas - Cursos Online com Certificado