terça-feira, 2 de abril de 2013

Anúncios classificados


Por Marcos Niemeyer
Fale conosco no Skype: marcos.niemeyer12
Jazz FM. Música de qualidade


>> Os novos tempos trouxeram, entre outros casos insólitos, a diversidade de anúncios nos classificados dos jornais. Ao lado das tradicionais mensagens religiosas, há grande oferta de rituais de magia negra e outras feitiçarias para inúmeros casos.

Desde 'cura' para impotência sexual, traição conjugal e 'trocentas'  urucubacas que afligem os mortais, até mesmo 'trazer a pessoa amada em menos de 24 horas'.

Quem quer um histórico de conclusão do segundo grau ou de formação superior mesmo tendo dificuldade em assinar o próprio nome? É só procurar nos classificados. Nada, no entanto, supera as ofertas sexuais no referido espaço.

"100 por cento loira, sem decepção. serviço completo", sugere um dos anúncios. "Alice, travesti linda, loira, faço todas as suas fantasias", revela um outro na mesma fileira. "Casada e fogosa", incendeia o que está mais embaixo. "Universitária de fino trato, discreta, charmosa, faço fio terra e beijo grego", apoquenta o último deles.

Apenas com uma rápida leitura e possível visualizar a excentricidade da estratégia. As mercantilistas do  sexo fazem questão, em sua maioria, de destacar que são 'loiras'. Afinal, madeixas com aplique e oxigenadas são tão comuns atualmente quanto revoada de borboletas no início da primavera.

Para os jornais, isso não vem ao caso já que suas páginas de classificados visam vender todo tipo de produto sem questionar a qualidade dos mesmos. Caiu na rede é peixe, efeito da multiplicação.

Poucos são os diários brasileiros que não aceitam em suas páginas anúncios mentirosos ou cujo teor estimule e orgia e a sensualidade. E o lucro é garantido, não negam. Uma simples mensagem nos classificados com cinco linhas e caracteres reduzidos nunca sai por menos de oito ou dez reais.

Mas essa estratégia de marketing não é exclusiva dos jornais impressos. Panfletos colados em postes e paredes nos grandes centros urbanos também convidam o transeunte a usufruir dos pecados terrenos. Isso sem falar da crescente oferta no mundo virtual.

Com poucos cliques é possível tanto fazer uma macumba online quanto trazer o pródigo ex-amor de volta, envolver-se num triângulo amoroso, ou, simplesmente armar uma noite caliente com a 'loira' mais próxima.

Mudando o tom do discurso, uma estilosa empresária da Zona Sul carioca pagou mais de cinquenta mil reais a um ex-funcionário que doou seu esperma para engravidá-la. Não satisfeito com a bolada em troca do negócio, o cabra está processando a madame.

Apesar de não ter tido relação sexual com ela, o distinto quer indenização por ter vivido com a ricaça uma "união estável". Quem pode com o ser humano?
.