sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Boas apresentações musicais além do eixo Rio-São Paulo preservam a qualidade da MPB


Por Marcos Niemeyer


>> Dominada pelos medíocres ritmos midiáticos, a cidade Gov. Valadares — no Leste mineiro, realiza desde a última quarta-feira (13) até este sábado (16), a 15ª edição do Valadares Jazz Festival que este ano presta homenagem ao cantor e compositor Edu Lobo. 

O evento ocorre no auditório do Colégio Imaculada Conceição, na região central do  município. Apesar de praticamente ignorado pelos meios de comunicação locais — em Valadares as FMs, por exemplo, desconhecem o que é música de boa qualidade —, o festival (promovido por um jornalista nativo, com apoio de algumas empresas da região) tem recebido bom número de visitantes.

A abertura do festival ficou por conta da Rio Jazz Orchestra, com brilhante participação de Taryn Szpilman e Toninho Horta, um dos fundadores do Clube da Esquina.

Este ano o evento conta ainda com vários importantes nomes da música instrumental brasileira: Jeferson Gonçalves, Ari Borger Quartet, Yamandú Costa, Thiago Espírito Santo Trio, Gil Costa, Josué Lopes e Felipe Continentino. 

Outra presença marcante no evento é o saxofonista Leo Gandelman (foto), que sobe ao palco nesta sexta-feira (15) a partir das nove da noite. O artista lança em Valadares seu mais recente trabalho, o CD/DVD Ventos do Norte, no qual ressalta a importância de instrumentistas  nordestinos para a história musical do país.

Eventos dessa natureza fora das grandes capitais (sobretudo no eixo Rio-São Paulo) contribuem de maneira significativa para o resgate da música civilizada já que as novas gerações, emburrecidas por um sistema político-educacional cada vez mais deplorável, lotam apenas parques de exposições e arenas de rodeio para aplaudir falsos artistas.

Além, evidente, da violência tão comum entre a maioria dos que cambaleia alcoolizados diante desses “cantores”. Iniciativas que fomentam a cultura, como é o caso do Valadares Jazz Festival, jamais começam ou terminam com orgias regadas a drogas e bebidas, pancadaria e tiroteio e motivo de manchete nas páginas policiais. Viva, pois, a música de qualidade e os verdadeiros talentos da MPB.
....

PS:. Estamos em Gov. Valadares desde o final da noite de quinta-feira após um ano e meio sem passar por aqui. Vamos permanecer na área até meados da próxima semana. O objetivo é rever parentes e amigos, além de um passeio por alguns pontos tradicionais da cidade que apesar de bonita e  bem arborizada continua cada vez mais quente e repleta de pernilongos. A sensação que se tem é de estar dentro de uma sauna. Há relatos apocalípticos de especialistas alertando que GV pode ter clima de deserto no futuro. Clique aqui  para ver detalhes. Confira abaixo algumas imagens da cidade.