quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Amor ou apenas fome sexual de deixar Afrodite com água na boca?


Por Marcos Niemeyer


>> Se o instinto sexual de um macho pode pulular por várias mulheres, com as fêmeas desses novos tempos a situação não é diferente.

Pois esta, caro transeunte deste espaço virtual, é apenas mais uma entre as infindáveis armadilhas que nos envolvemos ao mergulhar de corpo e alma na traiçoeira jogada das paixões fulminantes.

Nessa hora, as analogias a outros animais monogâmicos — a exemplo dos lobos, araras e pinguins — pintam de montão, para descarrego de consciência daqueles forasteiros do amor e insaciáveis sexuais.

Mas o fato é que depois de uma tórrida noitada sob os lençóis com direito aos mais depravados instintos da carne, você vai se flagrar tentado voltar para os braços daquele amor especial.

O assunto tem sido destrinchado por uma nova corrente da psicologia. Alguns especialistas da área entendem que poliamor "consiste em negar a monogamia e adotar um envolvimento responsável e íntimo com várias pessoas, simultaneamente."

Mas aí é que está o lado phodástico da questão. É possível mesmo haver amor num triângulo amoroso ou será que tudo não passa de um tesão irado, desses avassaladores que deixam qualquer um de pau duro, as cabrochas com a periquita em chamas e a cabeça confusa?

"O sexo pra mim é tudo, meu bem. Meto gostoso, faço tudo que você quiser", avisou a verborrágica magricela pela mensagem do celular ao amante vinte anos mais velho. E completou: "meu marido é um inadequado sexual, tem a pica pequena, não faz nem cosquinha. Eu gosto mesmo é de homem bem dotado. Minha maior fantasia é trepar com três machos bem calibrados."

Pois aqui vai um recado para essas insatisfeitas de plantão. Pesquisas realizadas no Brasil e Estados Unidos indicam que o tamanho médio do pênis do brasileiro é de 14 centímetros. E ainda não se contentam?

Imagine aquela figura fake vingativa que queimou o filme do humilde namorado no "Lulu" — o medonhoso e indigesto aplicativo que funciona como um clube virtual onde as periguetchys avaliam seus ficantes tanto no desempenho sexual quanto em outras performances — : "O  troço do infeliz é menor do que meu dedo mindinho. Mandei ele prus quinto dos inferno."

O sujeito não demorou pra dar o troco. "Relaxa, desgraçada! esqueci meu celular com a filmadora ligada no banheiro e te flagrei tocando uma siririca com a foto do seu patrão pendurada entre vossas canelinhas de saracura. Vô mandar como presente de Natal pra mulher dele."
.