sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Dejetos sonoros reinam absolutos nas FMs brasileiras


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
cacarejadavirtual


>> Para este humílimo aprendiz de escrevinhador não foi surpresa e sim motivo de indignação a notícia sobre as cem "músicas" mais tocadas no rádio brasileiro em 2013 divulgada pelo G1 (portal jornalístico das Organizações Globo, uma das empresas responsáveis pela deterioração da cultura brasileira). Clique aqui para ver o tamanho do estrago.

O mau gosto do grande público  — que em épocas passadas era mais exigente diante do que ouvia nas emissoras — está atrelado, sem dúvida, aos costumes medíocres ditados pela mídia. Até mesmo o rock, referência entre os grandes hits mundiais, vem caindo de preferência no país nesses últimos tempos.

Ainda bem que hoje existe a internet com seus incontáveis sites e blogs dedicados à música de boa qualidade. As FMs, que praticamente nada mais representam  — salvo honrosas exceções  — prestam um grande desserviço à cultura musical da nação com o lixo sonoro despejado diariamente no dial.

A qualidade melódica, para quem não sabe, despencou ladeira abaixo não foi só Brasil. Até mesmo nos Estados Unidos e na Europa, antes celeiros insuspeitáveis de grandes nomes artísticos, o atual momento não é dos melhores nesse aspecto.

A grande diferença é que no Primeiro Mundo o público se apresenta mais exigente. Cantores fabricados pelo sistema midiático não costumam fazer tanto sucesso, lotar estádios, ginásios esportivos ou espaços culturais públicos e privados.

Aqui em Paris, na França, por exemplo, onde estamos desde o início da semana para uma breve permanência, ouve-se nas FMs, nos bares, restaurantes e em casas noturnas o que há de melhor das sonoridades: Alain Barriére, Charles Trenet, Johnny Hallyday, Édith Piaf, Franck Pourcel e Charles Aznavour, apenas para citar alguns dos mais importantes ícones nativos, além de jazz, música clássica, instrumental e nomes talentosos, mesmo em pequena quantidade, oriundos das novas gerações.

A música brasileira autêntica também é das mais respeitadas do lado de cá do atlântico. A Bossa Nova, principalmente, ocupa lugar de destaque nos mais diferentes lugares deste país que está muitos anos- luz à frente do Brasil.
.