terça-feira, 11 de março de 2014

Alceu Valença denuncia esquema de Michael Sullivan para acabar com a MPB



Por Alexandre Figueiredo*
alexfig.floripa@gmail.com
facebook.com/alexandre.figueiredo


>> No último dia 04, uma entrevista do cantor e compositor pernambucano Alceu Valença chamou a atenção pela grave denúncia feita pelo artista diante do esquema de jabaculê promovido pela gravadora RCA, nos anos 80.

Acusando a gravadora de cooptar artistas como ele, Chico Buarque, Fafá de Belém e outros para enfraquecê-los e substitui-los por ídolos emergentes da música brega, ele dá detalhes sobre o perverso esquema.

Segundo ele, a gravadora queria que os artistas gravassem canções mais comerciais, com arranjos próximos aos do modelo de pop comercial norte-americano, em troca de benefícios como apartamento de luxo e hospedagem em hotel cinco estrelas.

O próprio Alceu era pressionado para gravar canções comerciais, dentro de um arranjo pasteurizado que incluía sintetizadores e mixagem que deixava as músicas com arranjos insípidos mas "eficazes" para a veiculação em rádios e TVs. Alceu localiza o esquema no ano de 1987.

Numa pesquisa sobre a época, é muito fácil identificar os responsáveis por esse esquema, entre eles Michael Sullivan e o diretor artístico da RCA, Miguel Plopschi, que havia sido colega de Sullivan na banda Os Fevers.

O ano representava o auge da indústria de sucessos de Michael Sullivan e seu hoje ex-parceiro Paulo Massadas, ex-baixista da banda Lafayette e Seu Conjunto. Sullivan comandava com mão de ferro a indústria de hit-parade brasileiro. Sullivan é conhecido pelos sucessos lançados por Xuxa Meneghel, José Augusto e outros ídolos do brega-popularesco.

Músicas como "Whisky a Go-go" e "Um Dia de Domingo" são os principais sucessos dessa fase. Sullivan contava com o suporte das Organizações Globo e tinha voz cativa na Som Livre. Seu esquema jabazeiro tinha como ponto de partida a RCA, mas ele começava a expandir sua influência em outras gravadoras.

Na CBS (hoje também Sony Music), Simone e Rosana (antiga e talentosa cantora soul "repaginada" pelo sucesso brega "Como uma Deusa") gravaram composições de Sullivan e seus protegidos. Na Philips / PolyGram (atual Universal Music), Sullivan estendia sua influência em Fafá de Belém e na promoção de ídolos bregas como Chitãozinho & Xororó e Wando.

Quanto aos artistas cooptados por Michael Sullivan, nomes como Roupa Nova, Alcione e Raimundo Fagner aceitaram naturalmente, sendo que os dois primeiros só conseguiram manter-se no sucesso ao longo do tempo por terem um excelente jogo de cintura.
----

*Alexandre Figueiredo é jornalista e editor dos blogs O Kylocyclo e Mingau de Aço. Colabora eventualmente com o blog Cacarejada Virtual escrevendo artigos sobre diversos temas.
.