segunda-feira, 14 de abril de 2014

O Brasil se curva diante do grotesco


Por Marcos Niemeyer


>> Certas emissoras de rádio precisam preparar melhor seus locutores. Em Juiz de Fora, o apresentador de uma FM popularesca disse que a tal da valeska popozuda (com letra minúscula mesmo por conta da insignificância dessa coisa) é a mais "importante cantora” dos últimos tempos na história da música brasileira.

E ainda vomitou na maior cara de pau: "A Elis Regina, idolatrada pelos antigos, não chega nem aos pés dela." Partindo do pressuposto de que as incontestes melodias de Elis são “letais e deixam quem as ouve deprimido” enquanto a "música" da tal sujeita midiática "levanta o astral do povo e o pinto da galera", o rapaz ainda teceu uma série de comentários com erros gramais gritantes ao atacar a legítima MPB. O distinto perdeu uma grande oportunidade de ficar de bico calado.

Tomei conhecimento que o jovem comunicador "concluiu" recentemente a Faculdade de Comunicação da UFJF. Será meeeesmo? Tenho minhas dúvidas.

Se fosse numa emissora séria e responsável (o que nesses tempos atuais deixou de ser regra e passou a ser exceção) tal funcionário jamais ocuparia a função para a qual foi designado. Não serviria nem para limpar o sanitário da empresa.

Aliás, esta onda de jogar confete ou simplesmente fazer referências acadêmicas aos cantorzinhos fajutos que infestam o Brasil transformou-se numa das maiores afrontas dos últimos tempos contra a cultura popular.

É o caso de um professor de filosofia Distrito Federal que criou recente polêmica ao colocar entre os quesitos de uma prova do ensino médio verdadeira idiotice, ao classificar a tal da “Popozuda” (na condição de “grande pensadora contemporânea”.

Não resta dúvida que a intenção foi polemizar um assunto extremamente banal. Nesse contexto, porém, percebe-se a evidente intenção dos defensores do lixo sonoro e da anticultura em legitimar no cenário artístico brasileiro as mais bizarras figuras inventadas pelos meios de comunicação. A coisa é igual merda: quanto mais mexe, mais fede.

Esses oportunistas de plantão prestam um verdadeiro desserviço à música brasileira, cujos legítimos representantes são relegados ao limbo e absolutamente desconhecidos pelas novas gerações.
....

PRAÇA DA ESTAÇÃO 

Nesta sexta-feira (18), a partir do meio-dia, estaremos na Praça da Estação, no centro de Juiz de Fora, mostrando ao vivo em nosso canal do Youtube, a decadência de um dos mais importantes espaços públicos da cidade. A Praça da Estação é parte do conjunto arquitetônico do Centro Histórico da cidade. Suja e violenta, em que pese abrigar uma companhia da PM, o logradouro possui, entre outras construções históricas, a antiga estação ferroviária, o edifício Wagner Pereira e o Grande Hotel Renascença.
....

A OFERTA É MAIOR DO QUE A PROCURA

Sem dúvida, Zé Mané! As periquitas estão cada vez mais assanhadas. Bem diferentes de outrora, quando até as putas impunham respeito. Nunca se viu tanta mulher useira & vezeira.
....

TUDO AZUL 

Apesar de não gostar de futebol, aproveitei a ida neste domingo (13) até minha cidade, "Belzonte", para assistir ao grande clássico entre Cruzeiro & Atlético. Com o Mineirão lotado, a equipe celeste garantiu o título do Campeonato Estadual/2014 após o empate sem abertura de contagem com o tal do Galo. No entanto, o Cruzeiro parece que teve dó do adversário ao não aplicar-lhe uma sonora goleada. BH está tingida de azul. E, ao contrário do que eu imaginava, Juiz de Fora tem milhares de torcedores do Cruzeiro e não apenas dos times cariocas. Já o Atlético, é possível contar nos dedos de uma das mãos o número de simpatizantes.
....

ESSE TAL DE SELFIE 

Eu já tô de saco cheio com essa mania que as periguetchys & desocupados de plantão inventaram de postar a todo instante na internet. Esse negócio de esticar o braço segurando o celular apontado para o rosto ou para a bunda e espalhar a coisa feito rastro de pólvora nas redes sociais é uma verdadeira falta do que fazer. O supra-sumo do mau gosto e da breguice.
....

TALENTO 


A cantora pernambucana Andrea Amorim é puro talento e simpatia. Com cinco CD’s gravados, a artista vem se firmando como uma das grandes intérpretes da MPB. Não é à toa que ela recebeu as “bençãos” do compositor Roberto Menescal, ícone da Bossa Nova. Os dois tem feito brilhante parceria musical em importantes casas noturnas no eixo Rio/São Paulo e participado de inúmeros festivais de Jazz em diferentes cidades brasileiras.
.