quinta-feira, 24 de abril de 2014

O candidato fanfarrão da Rede Globo


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
cacarejadavirtual/


>> Milhares de servidores públicos demitidos, escolas sucateadas, professores com salário de fome, explosão da violência em Minas e outras dezenas de incontáveis mazelas herdadas do governo Aécio Neves.

Na última segunda-feira (21), por ocasião da tradicional cerimônia de entrega da Medalha da Inconfidência, na Praça Tiradentes, em Ouro Preto, o rapaz criticou duramente o governo federal. O espaço público foi praticamente fechado ao povo, enquanto o boa vida transformava o palanque em discurso político.

Revoltados com a proibição de circular livremente na área, estudantes estenderam uma #carreiradefarinha a 500 metros do local. Não morro de amores pelo PT, mas quem é Aécio para criticar o que quer que seja. Vira e mexe, o bacana dá mau exemplo de conduta. Já foi flagrado bêbado pelas ruas da Zona Sul do Rio, tendo os documentos apreendidos pela polícia. 

Em novembro de 2009, também no Rio, Aécio empurrou a namorada e em seguida aplicou-lhe um tapa no rosto. E o cabra ainda fala em ser “presidente do Brasil”. Aliás, o sonho do jovem político em ocupar o posto mais elevado do Planalto conta com o indecoroso apoio da Rede Globo.

Como até o mais idiota dos mortais sabe, a emissora tornou-se nas últimas quatro décadas o maior partido de oposição ao povo brasileiro. Com sua linha jornalística tendenciosa e manipuladora, programas e novelas tão medíocres ou até mais que a própria politicagem que assola o Brasil, a emissora fundada pelo Sr. Roberto Marinho possui extenso histórico de controvérsias e desmandos na história da comunicação do país.

Uma simples pesquisa no Google com o nome das organizações Globo é suficiente para se ter uma ideia das falcatruas cometidas pela empresa implantada no país de maneira obscura e à sombra do regime militar.

É preciso, pois, que a nação esteja atenta diante de mais essa manobra midiática que tenta levar ao poder um fanfarrão que, apesar de ter telhado de vidro, vive por atirar pedra no telhado alheio.

Nas empresas de comunicação mineiras, assim como ocorre praticamente em todo o Brasil, jornalistas e radialistas são praticamente proibidos de falar sobre qualquer assunto desfavorável ao candidato da Rede Globo.

Aqueles que, porventura, não cumprem as determinações impostas pelos patrões são sumariamente demitidos por "contenção de despesa". Como a maioria treme mais que vara verde em noites de fortes ventos diante da possibilidade em perder o emprego, bota o rabo entre as pernas e faz de conta que está tudo bem, bererem, bem bem.

Aécio Neves prestou um desserviço à Minas durante sua desastrada passagem pelo governo do Estado. Como presidente (ainda bem que não chega lá!)  #acarreiradelama seria ainda pior.
.