segunda-feira, 9 de junho de 2014

Heloísa Tapajós, baluarte da MPB


Por Marcos Niemeyer


>> Nossos sinceros sentimentos aos inúmeros amigos e familiares de Heloísa Carvalho Tapajós, fato ocorrido na tarde da última quinta-feira (5), no Rio de Janeiro. Internada há várias semanas na luta contra complicações cardíacas em um hospital da Zona Sul carioca, ela partiu para a eternidade aos 66 anos.

Formada em Sociologia pela PUC/Rio, Heloísa, irmã do músicos Mú e Dadi Carvalho (ambos da antológica banda A cor do Som) foi casada com o compositor Paulinho Tapajós (1945 — 2013).

Com amplos conhecimentos sobre a MPB, participante e divulgadora de eventos culturais de grande relevância no cenário artístico nacional, atuava ultimamente como pesquisadora do Instituto Cravo Albin, sendo responsável pela pesquisa e redação dos verbetes do segmento Bossa Nova/MPB a partir de 1958 até o momento do dicionário homônimo.

Não cheguei conhecer Heloísa pessoalmente, muito embora a tivesse em meus contatos virtuais, inclusive, no Facebook. Conforme relato dos amigos, “Lozinha” — assim carinhosamente tratada pelos mais íntimos — era uma pessoa de bem com a vida, simples e carismática.

Para saber mais sobre o trabalho que Heloísa realizava como pesquisadora, vale a pena ler a entrevista que ela concedeu à cantora, professora de literatura e língua portuguesa Daniela Aragão, clicando aqui.

Na foto que ilustra este artigo, Heloísa aparece ao lado de Paulinho Tapajós durante um evento cultural no Instituto Cravo Albim, localizado na Urca, Zona Sul do Rio. Que as luzes divinas a conduzam para um descanso merecido na eternidade e confortem aqueles que tiveram o privilégio de conviver ao seu lado.