domingo, 14 de dezembro de 2014

"Devolvam o piano do Tom, cambada!"


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
facebook/


>> Entre os assuntos que marcaram a semana nas redes sociais, um deles diz respeito à estátua do grande maestro Tom Jobim erguida na última segunda-feira (8) em Ipanema, na Zona Sul do Rio, quando completaram-se duas décadas da morte do artista.

A polêmica, no entanto, fica por conta do monumento em que o compositor — em vez de estar ao lado do piano, sua principal característica — aparece com um violão no ombro. O fato transformou-se em acaloradas discussões na internet, muito embora a própria família do maestro tenha gostado da ideia.

"Retrata bem ele nos anos 60. E a inauguração nesse dia lindo é perfeita. Gostei do violão que também era uma marca dele, como o piano. Uma homenagem emocionante", disse Ana Jobim. viúva de Tom.

Por sua vez, um internauta sugeriu que essa pose lembra mais o humorista Juca Chaves (reconhecido por sua imagem com o violão no ombro, além do talento indiscutível) do que o próprio autor das mais belas canções da MPB. "Devolvam o piano do Tom, cambada!", disse um fã de Jobim. Outro leitor, escreveu: "Já imaginaram Tom Jobim carregando o piano nas costas?"

Inconformado com a situação, o empresário carioca e estudioso da MPB Carlos Alberto Afonso — também fundador da Toca do Vinicius, centro de referência da Bossa Nova — defende que a escultura carece mesmo do inseparável piano de Tom Jobim, com o maestro soberano devidamente sentado a dedilhar o instrumento para encanto da plateia.

Neste sentido, Afonso enviou até uma missiva ao prefeito do Rio — uma vez que o município é o responsável pela obra de autoria da escultora Christina Motta.

“Estamos propondo a instalação de um deck como aquele do mirante do Leblon, sobre a areia e junto à murada interna do calçadão do Posto 9, em dimensão suficiente para abrigar — como se fora um pequeno palco — um piano de cauda e seu instrumentista, de tal forma que o espaço da calçada propriamente dita siga absolutamente livre para o trânsito das pessoas”, afirma. Em sua página do Facebook o assunto tem rendido pano pra manga.

Um dos mais conceituados nomes da música brasileira de todos os tempos, Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, o Tom Jobim, foi maestro, pianista, cantor, arranjador, violonista e um dos criadores da Bossa Nova.

Ao lado de Vinicius de Moraes e João Gilberto compôs clássicos do quilate de Garota de Ipanema, Ela é carioca e Samba do avião, eternizados como ícones cariocas.

A música de Tom Jobim é internacionalmente reconhecida e respeitada em todas as partes do mundo. Na luta contra um câncer aos 67 anos, o maestro morreu no dia oito de dezembro de 1994 vitimado por uma parada respiratória, em Nova York.

A produção deste blog selecionou três das mais conhecidas canções de Tom Jobim para refrescar nossos tímpanos. Ouvir é preciso. Boas sonoridades, Brasil.

.