quarta-feira, 6 de maio de 2015

Urucubaca ronda as aeronaves da Gol


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
facebook/


>> Passageiros da Gol Linhas Aéreas que embarcaram na manhã da última quinta-feira (29) no Aeroporto de Juiz de Fora com destino ao Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, foram surpreendidos pelo som em altíssimo volume procedente de uma mini caixa acústica espetada num pendrive que um dos passageiros tinha em mãos, pouco depois de o avião levantar voo.

O sujeito ouvia uma coisa esquisita, por ele classificada de "sertanejo universitário". Insatisfeitos diante da poluição sonora, os demais viajantes botaram a boca no trombone.

A ordem só foi restabelecida com a presença dos comissários de bordo que explicaram ao indivíduo o despropósito de tal conduta. O cabra desligou a geringonça, mas cacarejou em voz alta que estava sendo "discriminado" por conta de sua preferência musical.

Isso, porém, é café pequeno diante do fato que relatamos recentemente aqui neste espaço virtual sobre o jato da Gol procedente de São Paulo que desceu no Aeroporto de Juiz de Fora com um puto de um remendo feito com fita de alumínio numa das asas o que, aliás, não chega a ser novidade.

Outras aeronaves da Gol e também da TAM já foram flagradas por passageiros em diferentes aeroportos do país apresentando problemas idênticos.

Essas empresas devem estar à espera de uma tragédia para que tomem as providências necessárias. Será por onde anda a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC)?
.