sábado, 4 de julho de 2015

A Rede Goebbels não dá ponto sem nó


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
facebook/


>> O lamentável episódio envolvendo a jornalista Maria Júlia Coutinho, também conhecida como "Maju", vítima de comentários racistas no Facebook, pode ter sido arquitetado pela própria emissora  dos Marinho com alguns de seus integrantes mais recônditos puxando o fio da meada objetivando causar comoção nacional.

Como é do conhecimento público, a TV Goebbels carece cada vez mais de credibilidade, principalmente com seu jornalismo tendencioso e avesso aos fatos verdadeiros. 

Quem em sã consciência confia, por exemplo, nas informações propagadas pelo tal JN? Ultimamente, a empresa tem sido alvo de inúmeros protestos físicos e virtuais devido aos incontáveis desmandos impostos à nação (manipulação de notícias, tentativa de fraudar eleições, etc).

Porém, já que o brasileiro possui memória fraca, o caso envolvendo a jornalista Maju, responsável pela previsão do tempo no Jornal Nacional, pode ser mesmo uma tentativa de acalmar os ânimos dos descontentes por conta de tanta asneira exibida na tela da "vênus platinada". A ideia, portanto, seria que a opinião pública passasse a prestar solidariedade a ambas as partes, o que na prática vem ocorrendo.

Basta ver os comentários nas redes sociais, principalmente no Facebook. Até os colunáveis apresentadores do JN (onipresentes na fútil revista Caras e outras publicações do gênero), antes criticados por formadores de opinião diante de sua conduta obediente frente às câmeras recebem o incenso desses mesmos críticos, após publicarem um vídeo no YouTube em desagravo à jornalista moralmente atacada por tribos racistas.

São autênticos lobos vestidos em pele de cordeiro. Costumam engabelar, inclusive, aos mais bem esclarecidos. Uma máfia sem precedentes na história da comunicação brasileira. O assunto deve continuar rendendo pano pra manga o resto do ano e a emissora do Jardim Botânico se postando mais de vítima do que a própria repórter atingida pelos comentários execráveis.

Por outro lado, não resta dúvida: toda espécie e indício de racismo ou preconceito devem ser devidamente condenados. Lembrem-se, no entanto: a Rede Goebbels não é flor que se cheire, vai continuar engando o povo até que surja um novo espetáculo e esse de agora caia no esquecimento popular.
.