sábado, 26 de setembro de 2015

Políticos de Juiz de Fora voltam a dar vexame e quase partem pra porrada


Por Marcos Niemeyer


>> O episódio ocorreu na noite da última segunda-feira (21) ao final de uma sessão ordinária na Câmara Municipal (foto) envolvendo o vereador Wanderson Castelar (PT) e o deputado estadual Noraldino Junior (PSC), que teria ido ao plenário à procura de outro vereador seu amigo e médico para conversar sobre um problema de saúde.

Ato contínuo, os dois cabras se estranharam e o vereador teria ameaçado de morte seu desafeto. Castelar foi preso em flagrante por policiais militares e transportado até o ao xadrês num carro oficial do legislativo. Péssima imagem para quem deveria ser um exemplo de conduta e comprometimento com o trabalho.

Há pouco tempo um outro vereador de Juiz de Fora, João Evangelista de Almeida, o João do Joaninho (DEM), foi flagrado por policiais do Meio Ambiente em um barco de sua propriedade numa represa do município com três capivaras e um jacu abatidos e uma espingarda.

Na ocasião, o sujeito disse aos militares que iria buscar documentos em um carro às margens da represa e fugiu do local tomando rumo ignorado. Só deu as caras novamente vários dias depois em companhia de advogados.

Após sofrer forte pressão popular, o tal do Joaninho renunciou ao mandato. Fato curioso (e inaceitável) e que o distinto era presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara.

Sempre acreditei que a atividade de vereador deveria ser voluntária — a exemplo do que ocorria na época do regime militar — quando apenas os vereadores das capitais recebiam uma pequena ajuda de custa.

Nas últimas décadas, eles transformaram a ocupação numa verdadeira atividade profissional. Ganham muito dinheiro pra não fazer absolutamente nada. O negócio deles é só ficar coçando o saco.

Nas últimas eleições municipais, Juiz de Fora teve quase quinhentos candidatos a vereador. E preciso que o povo fique atento contra as tramoias desses useiros e vezeiros.
.