terça-feira, 8 de março de 2016

Evitem o Barrigão Realeza


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
facebook/


>> O Restaurante Barrigão Realeza, localizado na cidade mineira homônima, na confluência das BRs 116 e 262, que ligam o norte ao sul do país e o oeste do Brasil ao litoral do Espírito Santo, respectivamente, tem os preços mais caros ao longo das rodovias que atravessam a nação.

Um simples prato com uma porção de arroz, feijão, pequeno pedaço de carne, duas colheres de salada e uma garrafa pequena de água mineral não saem por menos de (pasmem!) 28 reais. O cafezinho, por sua vez, chega a custar cinco mirreis (mais caro que nas lanchonetes dos aeroportos do Galeão, Santos Dumont e Congonhas). Verdadeiro absurdo!

Parece que não há fiscalização por parte dos órgãos competentes (se é que assim podem ser classificados). O Barrigão Realeza serve como ponto de apoio de várias empresas de ônibus (sendo a Rio Doce e a Kaissara — empresa de fuga de patrimônio da Viação Itapemirim as principais a utilizarem o referido espaço).

Quem passa pelo local, caso esteja de carro, prefere seguir um quilômetro adiante e pagar a metade dos preços cobrados pelo careiro estabelecimento em restaurantes mais convidativos na beira da estrada.

Mas quem estiver viajando de ônibus não tem outra alternativa ficando, pois, sujeito à tabela altíssima do Barrigão. Portanto, quem não quiser ser explorado deve passar longe desse abusivo ponto comercial. 
.