quinta-feira, 26 de maio de 2016

Clássico divino


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
facebook/


>> Antigos moradores de um casarão estilo gótico construído no início do século passado nas imediações da Avenida Governador Valadares, em Manoel Honório, movimentado bairro popular na região central de Juiz de Fora, tocam todos os dias, pontualmente às seis horas da noite em sua vitrola de mil novecentos & Aracy de Almeida, a clássica "Ave Maria", de Schubert, composta em 1825.

Quem ouve e não sabe a procedência da bela sonoridade — já que o volume alto, porém harmonioso, assim dá a entender — pensa estar nas proximidades de uma igreja barroca. Há, inclusive, quem diga que o local é "mal-assombrado", pois ouve-se com frequência barulhos estranhos vindos do casarão e que tornam-se silenciosos diante da presença de transeuntes ou curiosos. A edificação fica fica a menos de um quilômetro do Museu Mariano Procópio, onde também há relatos de aparições sobrenaturais em plena luz do dia.

Existem diversas composições da música clássica aqui citada que utilizaram o texto em latim da oração dedicada à mãe de Jesus. As mais consagradas, porém, foram compostas por Bach, Gounod e o próprio Schubert. Também foi gravada por grandes nomes da música mundial a exemplo de Maria Callas, Pavarotti, José Carreras, Andrea Bocelli e Karen Carpenter.