sexta-feira, 8 de julho de 2016

Músicos de rua são vítimas da truculência de seguranças no Metrô carioca


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
novavirtualfm.com
facebook/


>> Ao contrário do que acontece nos países do Primeiro Mundo — onde são aplaudidos e respeitados — bons músicos de rua que atuam nas estações do Metrô carioca continuam sendo perseguidos e levando porrada dos seguranças que atuam no referido sistema de transporte de passageiros.

Recentemente dois saxofonistas que tocavam "Carinhoso", "Rosa" e "Lamentos", de Pixinguinha, na Estação Cinelândia, no centro do Rio, foram agredidos moral e fisicamente por um bando desses truculentos leões de chácara.

Num país em que a boa música e a cultura são ignorados ou desconhecidos pela maior parte do povo, iniciativas que possam contribuir para melhorar tal situação deveriam ser incentivadas e não recebidas com paus e pedras. Os músicos de rua precisam se unir para cobrar das autoridades providências urgentes contra esse inaceitável tipo de "receptividade" a que estão sujeitos diariamente.

Aliás, não só músicos de rua vem tornando-se vítimas da truculência dos "seguranças" do Metrô. Skatistas e qualquer outro transeunte considerado "suspeito" ou "inadequado" — a exemplo de fotojornalistas — costumam levar golpes de cassetete da cacunda.

Diante dos boletins de ocorrência feitos pelas vítimas nas delegacias, a gerência do Metrô apenas informa que os "agentes de segurança" são afastados do cargo até o final da apuração do caso. Esses botocudos precisam aprender urgentemente como separar o joio do trigo.

Tal responsabilidade, sem dúvida, é da empresa que os contratam. Caso não haja medidas urgentes para controlar a situação, pessoas indefesas vão continuar a sofrer diante da violência desenfreada dos abomináveis "seguranças" do Metrô e outras espécies do gênero.
.