domingo, 6 de novembro de 2016

Palpite infeliz

Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
mn.facebook/


>> Um dos mais raros documentos da história da MPB, a letra da melodia “Palpite infeliz”, samba composto por Noel Rosa em 1935 e escrita originalmente em papel de embrulhar pão pelo “Poeta da Vila”, foi parar há mais de sessenta anos na cidade mineira de Governador Valadares, onde encontra-se até hoje guardada como verdadeira relíquia na casa de uma advogada aposentada.

O documento foi achado numa lata de lixo no bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro. A originalidade do mesmo tem comprovação de especialistas no assunto — conforme conta o jornalista Tarcísio Alves, morador em Valadares e que já viu o escrito de perto. “Muitos estudiosos da obra de Noel Rosa já vieram aqui para ver esse documento de perto. Alguns chegaram a oferecer boa quantia em dinheiro por esse tesouro artístico”.

A melodia, gravada por grandes nomes da música brasileira, além do próprio autor, é considerada o ápice da disputa entre Noel Rosa e o sambista Wilson Batista que havia composto "Lenço no pescoço", uma homenagem ao estilo de vida malandro, à qual Noel responde com o samba "Rapaz Folgado", uma crítica àquele estilo de vida. Wilson, então, compõe "O Mocinho da Vila", ao que Noel responde com a obra-prima o "Feitiço da Vila". Wilson segue com "Conversa Fiada" e, finalmente, Noel lança "Palpite Infeliz". Wilson, irritado, compõe uma música criticando um defeito físico de Noel, mas ele não retruca a provocação.

Wilson insiste com outra música, "Terra de Cego", e Noel usa a mesma melodia para compor a resposta, "Deixa de Ser Convencido", que encerra a polêmica. O subsequente sucesso das músicas de Noel "O feitiço da Vila" e "Palpite Infeliz", indubitavelmente dão a ele a vitória nesta disputa. Ouça a melodia na interpretação de Ivan Lins.

.