terça-feira, 28 de março de 2017

Fim da era radiofônica tradicional caminha a passos largos


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
mn.facebook/


>> Mais uma emissora de rádio fecha as portas. Desta vez a vítima é a FM Estadão 92.9, com sede em São Paulo. A empresa, de propriedade do Grupo Estado, anunciou recentemente a negociação do prefixo com os vendilhões da fé.

A medida faz com que dezenas de jornalistas e radialistas sejam demitidos e mais milionários a serviço de "Deu$" ganhem espaço na mídia. A direção do Grupo Estado alega que, com o fim da Rádio Estadão, passa a concentrar investimentos em projetos digitais.

Somente nos últimos dois anos, diversas emissoras de rádio foram fechadas ou vendidas para seitas evangélicas nafs mais diferentes regiões do país. Com o rádio AM praticamente "sepultado'', as FMs que supostamente ganhariam a preferência do ouvinte, perdem audiência a cada instante.

O fenômeno é fácil ser analisado. O tradicional ouvinte do AM, hoje pessoas acima dos quarenta/cinquenta anos, envelhece e morre. As novas gerações, por sua vez, não se sentem atraídas pelo rádio já que dispõem de incontáveis e cada vez avançados recursos digitais quando o assunto é música, por exemplo.

Futuramente, as rádios tradicionais deixarão de existir em seus espaços físicos. Aquelas que conseguirem permanecer nesse mundo cada vez mais desumano e competitivo terão que fechar as portas e apostar suas fichas no plano virtual com um número reduzidíssimo de funcionários. No final do ano passado, o governo brasileiro assinou termo aditivo autorizando a migração de 240 rádios AM para a faixa FM. Mas, sinceramente, não dá para acreditar que algo dessa natureza salve o rádio de seu futuro cada vez mais incerto.

A Noruega, por exemplo, vai desligar a frequência de rádio FM no país a partir de 2017, segundo comunicado do Ministério da Cultura, tornando-se o primeiro país a tomar a iniciativa. O objetivo é mudar a tecnologia de transmissão para Digital Audio Broadcasting (DAB). Outros países na Europa e no Sudeste Asiático também consideram a possibilidade de mudar seu sistema de transmissão.

Bons tempos quando as pessoas ligavam o rádio para se informar e ouvir música de boa qualidade. Sem contar que as moças solteiras escreviam cartinhas apaixonadas, lambuzadas de batom e perfumadas com folhas de alecrim para os comunicadores. Esse modesto aprendiz de escrevinhador, por exemplo, atualmente solteiro, se casou com uma ouvinte na Bahia, trinta anos atrás. Hoje, já aposentado, se dependesse do rádio não conseguiria sequer um "oi" por parte de uma fêmea modernosa.
....

"BAILE DA ANTIGA" RESGATA GRANDES SUCESSOS DO FUNK MELODY


Idealizado pelo Radialista e produtor de eventos Douglas Polato (foto), o "Baile da Antiga" comemora sua segunda edição no dia seis de maio próximo apresentando sucessos inesquecíveis dos maiores bailes de Juiz de fora (anos 70, 80 e 90). O encontro tem participação confirmada dos DJ's juiz-foranos Ricardo P. Silva, Dedé Reis e Ronaldo Brinkin.

A festa será a partir das dez da noite, na Associação dos Subtenentes e Sargentos do Exército/JF (ASE). Reconhecido como o "Rei dos bailes" em Juiz de Fora, Polato anuncia que sua equipe trabalha visando a realização de outros eventos do gênero na cidade
. . .