quarta-feira, 19 de abril de 2017

Trapalhada do Facebook bloqueia e até encerra amizades na rede social


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com


>> Um fato dos mais lamentáveis vêm ocorrendo ultimamente no Facebook deixando milhares de usuários desta rede social intranquilos. É que muitos deles estão sendo excluídos de maneira aleatória e à revelia de seus respectivos grupos de amigos ou até mesmo bloqueados como se isso fosse de responsabilidade das partes envolvidas na questionável atitude.

Ainda não havia prestado atenção em algo dessa natureza e só me despertei diante do caso — embora já tivesse sido "deletado" ou "bloqueado" por alguns contatos de minha confiança — quando uma pessoa da nossa mais alta estima e consideração tocou no assunto conosco em, "off", na madrugada deste sábado (15).

A figura em questão foi por nós apresentada virtualmente nos últimos dois anos a contatos diversos, incluindo pessoas do meio artístico com as quais temos certa afinidade. Afinal, divulgar a arte e a cultura contribuindo para aproximar ideias em comum nunca é demais (principalmente nesses tempos modernosos em que a inversão de valores ditadas pela mídia tornou-se palavra de ordem).

A surpresa, porém, é que pelo menos vinte desses amigos acabaram por "excluir" tal pessoa pela qual fui o responsável por apresentá-la, mesmo que do ponto de vista virtual, ao sugerir o elo de amizade entre as mesmas. Como não é de criar polêmica ou a ponto de tentar saber o motivo de sua "expulsão", a excluída simplesmente ficou em silêncio e somente agora numa bate-papo informal é que veio dar-me conhecimento do episódio. Senti-me culpado, mesmo sem nada ter a ver com a história.

A senhora, por sua vez, discreta e com sua pontual elegância chegou a imaginar sem qualquer alarde que aqueles que a "excluíram" assim o fizeram em solidariedade a mim por algum motivo. Isso, de fato, não ocorreu, não houve uma causa que justificasse o suposto procedimento. Entrei em contato com alguns amigos em comum mais próximos e todos foram unânimes em afirmar que eles é que pensaram terem sido apagados da página da mesma.

"Cheguei a imaginar que ela é quem havia me excluído. Não disse nada para não parecer inconveniente", disse-nos um amigo que supostamente teria deletado a moça de seu espaço virtual. Inconformados com a situação pesquisamos na internet objetivando tomar conhecimento do que estaria a ocorrer, se haveria situações idênticas, reclamações de usuários da rede social, explicações do Facebook, etc.

Encontramos dezenas de internautas relatando o mesmo problema. E o pior, não há praticamente nenhuma justificativa por parte do Facebook diante do impasse. Após mais de duas horas de pesquisa encontramos numa comunidade isolada da internet reduzida postagem feita por um internauta do Rio Grande do Sul dizendo que o Face têm adotado um sistema de mostrar amigos somente onde há interação.

"Muitos perigam ser automaticamente excluídos em função desse detalhe", acrescenta a nota. Isso significa que, se alguém passa certo tempo sem pelo menos "curtir" o que o outro posta, corre o risco de ser automaticamente deletado. "Percebi que o Facebook anda excluindo meus amigos sem minha permissão, gostaria de receber um esclarecimento sobre isso, pois esta ação me deixou chateada", escreveu na mesma comunidade uma internauta paulista.

Já um amigo nosso de Salvador, na Bahia, acredita que isso possa ser mesmo impulso aleatório do Facebook. Relatou que tem problemas com sua lista de amigos o tempo todo. Disse ainda que enviou uma mensagem ao Face expondo a situação, mas ainda não houve resposta. Quem é deletado por um amigo ou conhecido de seu leque de amizade, seja lá por que motivo for, fica sempre com aquela sensação de 'desprezo" e "abandono" por parte de quem o excluiu.

Não raramente esses imprevistos acabam gerando discórdia, inimizades e mal-entendidos. Afinal, quem é escorraçado dos contatos de alguém e por mais que não admita, fica mesmo com a pulga atrás da orelha sentindo-se rejeitado e na maioria das vezes sem sequer saber o motivo. Pinta uma sensação estranha.

É como se fosse o namorado apaixonado que recebeu um "cai fora" da cabrocha e viu o fim do romance no qual apostava todas as suas fichas rolar por terra. Ou mesmo o jogador expulso num momento importante da partida, numa falha clamorosa do juiz absolutamente desproporcional à falta cometida pelo atleta.

Agora, portanto, prezado internauta, quando isso ocorrer diante de seus amigos e demais contatos "feicebuquianos" e ninguém saber de quem é a culpa, quem deletou quem, já temos uma pista, um "suspeito em potencial" ou seja, o próprio Facebook. Cuide-se, pois, essa rede armada pelo tal do Mark Zuckerberg. A qualquer momento todos podem ficar de saco cheio e decretar o falecimento de uma das mais mirabolantes gerigonças cibernéticas desses últimos tempos. Como foi o caso do finado Orkut. Quem viver verá!
....

JÁ PASSOU DA HORA
O Brézyl varonil precisa urgentemente de uma "reforma cultural", principalmente na música. Chega de tanto lixo sonoro!
. .