quinta-feira, 22 de junho de 2017

No início era aproveitável


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com


Apesar de detestar esses indigestos ritmos sonoros que inventaram nesses últimos tempos na Bahia (a exemplo de quem também tem bom gosto musical deve não gostar), devo admitir que em seus primórdios, no início da década de oitenta, havia algo aproveitável por lá.

A banda "Chiclete com Banana", por exemplo, cujo vocalista na época, Edmilson de Amorim Alves Ferreira, o "Missinho" (foto), filho do radialista Elias Alves, que atuou conosco na Rádio Sociedade da Bahia, em Salvador, lançou em 1986, o disco "Jamaica" recheado de boas sonoridades, basicamente canções próprias inspiradas no reggae jamaicano e canções romântico/rancheiras e de contexto ligeiramente político/social.

Os integrantes do grupo misturavam na época guitarras com violões, timbaus, agogôs e outros instrumentos de percussão. Então desconhecidos, os cabras surgiram no pedaço diante de uma estratégia de marketing articulada pelo então coordenador de programação da Rádio Sociedade/ Itapoan FM Cristovão Rodrigues.

Como a redação de jornalismo ficava ao lado da sala de Cristovão, eles sempre iam até o nosso espaço pra jogar conversa fora e pedir pra que a gente "desse uma forcinha" na divulgação do vinil. E o pedido jamais era negado. Sempre aparecia um jeito de colocar alguma referência  sobre o grupo nos noticiários da emissora, que batia recordes de audiência na Grande Salvador  e também era ouvida em diferentes pontos do Brasil e até em outros países.

TAXISTA EM ITABUNA?

Sumido da mídia e das redes sociais circulou um boato não faz muito tempo de que Missinho estaria atuando como motorista de táxi em Itabuna, no Sul da Bahia. O cantor negou a informação e ainda brincou numa roda de amigos mais chegados: "Acho que deve ser um sósia, gostaria até de conhecer essa figura".

Disse que só usou táxi até hoje como passageiro: "Eu nunca trabalhei em outra área, mas se eu precisasse dirigir um táxi eu iria com a maior alegria, como qualquer outra profissão". Missinho, sem dúvida, era o mais carismático do Chiclete com Banana.

Foi diversas vezes ao programa do pai, Elias, para falar sobre o disco que já começava a tocar nas rádios de Salvador. A música que dá título ao trabalho é ótima, descontraída, praiana, bem dançante. Clique no play para ouvir.
.
. .