terça-feira, 12 de setembro de 2017

O rádio & suas impagáveis histórias



Postado por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com
facebook.mn


>> Transcrevo, na íntegra, o "causo" contado no Facebook pelo amigo José Carlos Bacchetti, jornalista capixaba, envolvendo dois "speakers" das antigas. Um deles, Ângelo Ribeiro, que também era amigo deste humílimo aprendiz de escrevinhador na então Rádio Vitória, na capital homônima, de propriedade dos extintos “Diários Associados”, derrapou na hora de ler o nome do jornal londrino "Times" e anunciou da forma como se escreve acreditando que tratava-se de uma nota envolvendo futebol. Sem graça, ao ser corrigido em "off" pelo colega com o qual revezava a leitura do noticiário, vociferou sem mais delongas: "Só quis testar seu inglês". 

Por José Carlos Bacchetti

“O saudoso Venceslau Gomes, uma das vozes marcantes do rádio capixaba, e Ângelo José Ribeiro apresentavam na Rádio Capixaba o "Grande Jornal RC". O Jornal era de segunda a sexta-feira, sempre à meia-noite. Tratava-se de uma dupla espetacular. Ângelo era famoso e muito divertido.

O irmão de Eduardo Ribeiro (in memorian) foi apresentador de telejornais da TV Gazeta e diretor da Rádio Espírito Santo. Ele é sempre lembrado por ser protagonista de fatos inusitados no rádio. Fazia uma equipe com o seu próprio nome. Era o narrador esportivo ( Angelo José Ribeiro), repórter de campo, Ângelo Ribeiro, arquibancada, José Ribeiro, comentarista Ribeiro e por aí seguia com sua equipe de uma só pessoa incorporando uma série de personagens.

Mas naquela noite ele era o Ângelo Ribeiro que apresentava com Venceslau Gomes, o "Grande Jornal RC". A abertura do programa tinha uma matéria dizendo que o jornal TIME estava completando 150 anos. Na dobradinha, entre locutor 1 e 2, caiu para Ângelo ler a manchete: "Time de Londres completa 150 anos". Minuto de silêncio e muito risos.

Venceslau conseguiu se conter e disse: "Ângelo não é o time e sim TIME", explicando que se tratava do jornal conhecido no mundo. Ângelo, então, saiu com esta: "Garotinho, falei assim só para testar o seu inglês".

O operador colocou música por causa dos risos e o redator "adentrou o estúdio para saber o que estava acontecendo. Em seguida os apresentadores conseguiram se conter e o jornal continuou normal dando prosseguimento a divulgação das demais notícias, sem erro desta vez, principalmente porque os assuntos eram relacionados aos fatos nacionais.

Tempos depois, o radialista Venceslau Gomes, que era irmão de Cleilton Gomes, dono do Jornal Correio Popular, nos deixou. Não tinha ainda chegado aos sessenta anos, e partiu deixando saudades. Quanto ao Ângelo Ribeiro, ninguém sabe por onde anda. Se você sabe informe aos amigos, pois trata-se de uma pessoa que também marcou época no radiojornalismo capixaba. E é gente boa, da melhor qualidade.”
. .