quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Vamos ser sinceros: você daria boneca e roupas femininas para seu filho?


Por Marcos Niemeyer
mniemeyer50@hotmail.com


>> Estão forçando tanto a barra para que o brasileiro aceite passivamente a tal “ideologia de gênero”, que até a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) entrou de corpo e alma em defesa deste verdadeiro atentado contra a família. A tosca atitude objetiva ações de inclusão no Plano Nacional de Educação.

Em seu site e nas redes sociais, a UFJF publicou no início desta semana um vídeo intitulado “Na hora do lanche”, no qual um travesti mais colorido que banca de frutas e legumes vai até o Colégio de Aplicação João XXIII, administrado pela instituição, saber dos alunos como estava a expectativa para o Dia das Crianças e o que os estudantes levavam na merendeira.

Em determinado trecho do vídeo, a referida figura sugere a dezenas de crianças presentes "que não pode existir separação entre coisas e brinquedos de menino e de menina". Ato contínuo, faz um coro com os menores dizendo que "isso é preconceito".

O Conselho Tutelar do município pediu ao Ministério Público Federal (MPF) que o travesti e a direção da escola sejam punidos, porque teriam desrespeitado o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e o Plano Municipal de Educação de Juiz de Fora.

Nada tenho contra a preferência sexual de quem quer que seja. Afinal, cada um faz da sua vida o que bem entende e ninguém tem nada com isso. Mas induzir crianças e adolescentes aceitarem algo dessa natureza é um verdadeiro crime. Os inventores dessas ideias mirabolantes deveriam ser presos e condenados na forma da lei. Assista ao vídeo publicado na internet pela UFJF:

. .
..